Instalar GLPI

Proceda da seguinte forma:

  1. Escolha uma versão,
  2. Baixe o arquivo,
  3. Instale :)

Escolha uma versão

Nota

É altamente recomendado escolher a versão estável mais recente para um uso de produção.

O GLPI segue um esquema de versão semântico em 3 dígitos. O primeiro é o lançamento principal, o segundo o menor e o terceiro a versão fixa.

Os principais lançamentos podem vir com incompatibilidades importantes, bem como com novos recursos; As versões menores também podem trazer novos recursos, mas mantêm-se perfeitamente compatíveis dentro de uma versão importante.

As versões de correções só resolverão os problemas relatados sem adicionar nada novo.

Download

Aviso

No GitHub há sempre dois arquivos denominados Source code que não devem ser usados.

Vá para a seção download do site GLPI (ou obtenha o arquivo diretamente da versão Github) e escolha o arquivo glpi-{version}.tgz.

Instalação

A instalação GLPI em si é composta de três etapas:

  1. Descompacte o arquivo em seu site;
  2. Dê ao seu servidor web acesso de gravação aos diretórios files e config;
  3. Iniciar o assistente de instalação (ou use o :ref. script de instalação na linha de comando <cdline_install>).

Uma vez que as três etapas foram concluídas o aplicativo está pronto para utilização.

Caso precise ativar uma configuração avançada, como parâmetros de conexão SSL, por favor consulte :doc:`advanced configuration <advanced-configuration>”.

Localizações de arquivos e diretórios

Como muitos outros aplicativos web, o GLPI pode ser instalado apenas copiando o diretório inteiro para qualquer servidor web. No entanto, isso pode ser menos seguro.

Aviso

Todo arquivo acessível diretamente de um servidor web deve ser considerado inseguro!

O GLPI armazena alguns dados no diretório `` files`` e a configuração de acesso ao banco de dados é armazenada no diretório `` config``. Mesmo que o GLPI forneça segurança para evitar que os arquivos sejam acessados diretamente de um servidor web, a melhor maneira é armazenar os dados fora da raiz da Web. Dessa forma, arquivos sensíveis não podem ser acessados diretamente do servidor web.

Existem algumas diretivas de configuração que você pode usar para conseguir isso (diretivas usadas nos pacotes downstream fornecidos):

  • GLPI_CONFIG_DIR`: defina o caminho para o diretório de configuração;
  • `` GLPI_VAR_DIR``: defina o caminho para o diretório `` files``;
  • `` GLPI_LOG_DIR``: defina o caminho para os arquivos de log.

Nota

Existem muitas outras diretrizes de configuração disponíveis, as mencionadas anteriormente são as principais para se levar em conta para ter uma instalação mais segura.

A escolha de diretórios depende inteiramente de você, o seguinte exemplo segue as recomendações do FHS.

O GLPI vai ser instalado no diretório /var/www/glpi, um host virtual específico na configuração do servidor web irá refletir esse caminho.

A configuração do GLPI será armazenada em /etc/glpi, basta copiar o conteúdo do diretório config para este local. O GLPI requer permissão de leitura neste diretório para funcionar; e permissão de gravação durante o processo de instalação.

Os dados do GLPI serão armazenados em /var/lib/glpi, apenas copie o conteúdo do diretório files para este local. O GLPI requer permissões de leitura e gravação neste diretório.

Os arquivos de log do GLPI serão armazenados em /var/log/glpi, não há nada para copiar aqui, basta criar o diretório. O GLPI requer acesso de leitura e gravação neste diretório.

Seguindo estas instruções, criaremos um arquivo inc/downstream.php no diretório do GLPI com os seguintes conteúdos:

<?php
define('GLPI_CONFIG_DIR', '/etc/glpi/');

if (file_exists(GLPI_CONFIG_DIR . '/local_define.php')) {
   require_once GLPI_CONFIG_DIR . '/local_define.php';
}

Aviso

Os pacotes do GLPI certamente fornecerão um arquivo inc/downstream.php. Este arquivo não deve ser editado!

O GLPI procura um arquivo local_define.php em seu próprio diretório config. Se você deseja usar um novo diretório de configuração, é necessário carregá-lo.

Em seguida, crie um arquivo em /etc/glpi/local_define.php com os seguintes conteúdos:

<?php
define('GLPI_VAR_DIR', '/var/lib/glpi');
define('GLPI_LOG_DIR', '/var/log/glpi');

Nota

Novo na versão 9.2.2.

Para as versões do GLPI anteriores à 9.2.2, a constante GLPI_VAR_DIR não existe. Era necessário definir todos os caminhos separadamente:

<?php
define('GLPI_VAR_DIR', '/var/lib/glpi');
define('GLPI_DOC_DIR',        GLPI_VAR_DIR);
define('GLPI_CRON_DIR',       GLPI_VAR_DIR . '/_cron');
define('GLPI_DUMP_DIR',       GLPI_VAR_DIR . '/_dumps');
define('GLPI_GRAPH_DIR',      GLPI_VAR_DIR . '/_graphs');
define('GLPI_LOCK_DIR',       GLPI_VAR_DIR . '/_lock');
define('GLPI_PICTURE_DIR',    GLPI_VAR_DIR . '/_pictures');
define('GLPI_PLUGIN_DOC_DIR', GLPI_VAR_DIR . '/_plugins');
define('GLPI_RSS_DIR',        GLPI_VAR_DIR . '/_rss');
define('GLPI_SESSION_DIR',    GLPI_VAR_DIR . '/_sessions');
define('GLPI_TMP_DIR',        GLPI_VAR_DIR . '/_tmp');
define('GLPI_UPLOAD_DIR',     GLPI_VAR_DIR . '/_uploads');
define('GLPI_CACHE_DIR',      GLPI_VAR_DIR . '/_cache');

define('GLPI_LOG_DIR', '/var/log/glpi');

Of course, it is always possible to redefine any of those paths if needed.

Pós-instalação

Uma vez instalado o GLPI, está quase terminado.

Uma etapa extra seria proteger (ou remover) o diretório de instalação. Como exemplo, você pode adicionar o seguinte à configuração do host virtual do Apache (ou no arquivo glpi/install/.htaccess ):

<IfModule mod_authz_core.c>
    Require local
</IfModule>
<IfModule !mod_authz_core.c>
    order deny, allow
    deny from all
    allow from 127.0.0.1
    allow from ::1
</IfModule>
ErrorDocument 403 "<p><b>Restricted area.</b><br />Only local access allowed.<br />Check your configuration or contact your administrator.</p>"

Neste exemplo, o acesso ao diretório install será limitado apenas ao localhost e exibirá uma mensagem de erro. Obviamente, você pode precisar adaptar isso às suas necessidades; consulte a documentação do seu servidor web.

Creative Commons License